fbpx

Carreira de Cuidador Profissional podem ser recompensadoras, desafiadoras e realizadoras.

Carreira de Cuidador Profissional podem ser recompensadoras, desafiadoras e realizadoras. 1

A carreiras de cuidador de idoso oferece muitos benefícios e apelo generalizado, todos com boas razões. Algumas pessoas são motivadas pelo altruísmo e querem ajudar os idosos ou enfermos. Eles têm uma inclinação natural para as profissões de “ajuda”. Apesar disso, talvez o apelo mais forte de uma carreira de cuidador seja a segurança no emprego.

O setor de saúde está em expansão e deve permanecer assim por muitos anos. Um grande número de Baby Boomers( é a geração dos nascidos após Segunda Guerra Mundial até a metade da década de 1960. A designação vem da expressão “baby boom”, que representa a explosão na taxa de natalidade nos Estados Unidos no pós-guerra.) significa que uma quantidade crescente de assistência médica será necessária, especialmente porque a maioria dos idosos preferem ficar em suas próprias casas e resistir à institucionalização. Assim, as pessoas que entram no campo de cuidado provavelmente experimentarão uma grande segurança no trabalho e muitas oportunidades de carreira.

Cenário Brasileiro

O envelhecimento da população brasileira é um fato e teve um aumento significativo nas últimas décadas, com o crescimento do número de idosos em relação a população jovem. A faixa populacional de 60 anos ou mais passou de 2,1 milhões em 1950 para próximo de 14,3 milhões em 2000, e estima-se que alcance 31,8 milhões de pessoas em 2025. No período de 2000 a 2050 espera-se aumento na proporção de idosos na população total, de 5,1% para 14,2%. A expectativa de vida saltou de 30 anos em 1900, para próximo de 70 anos em 2000. 

No entanto, essa expectativa ampliada não quer dizer que os idosos estejam livres de doenças e em condições de usufruir com saúde plena esse período final de vida. Geralmente, os problemas de saúde dos idosos são de longa duração, requerem pessoas com qualificação específica e equipe multidisciplinar, uma vez que possuem características particulares que os diferenciam dos demais grupos etários. Um número maior de pessoas idosas tem enfatizado a necessidade de serviços de saúde diferenciados, em oposição ao modelo hospitalar ou asilar, para idosos com problemas físicos e mentais, o que coloca em evidência o papel do Cuidador.

O que faz o cuidador de idoso?

O Ministério do Trabalho e Emprego reconhece a ocupação de Cuidador de Idosos (CBO-5162-10) desde o ano de 2001. O Cuidador de Idosos é o profissional que trabalha com a população da terceira idade, fazendo a ligação entre o idoso e a família, os serviços de saúde, os poderes públicos constituídos, os grupos de convivência e lazer e a comunidade em geral. Está capacitado a atuar em diversas instâncias junto aos idosos no cuidado e assistência, nas atividades de convivência e lazer; aspectos da cidadania e das políticas públicas e criação de negócios direcionados para a população da terceira idade. 

Iniciando na profissão de cuidador

Algumas carreiras são mais fáceis de entrar do que outras. Para ser um cuidador de idoso residencial  não precisa de educação formal ou experiência prévia. No entanto, é essencial que esse profissional faça cursos de capacitação para que possam realizar suas tarefas diárias da melhor forma possível, garantindo a integridade do idoso.

Quem é o cuidador?

Cuidador possui qualidades como forte traço de amor à humanidade, de solidariedade e de doação. A ocupação de cuidador integra a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO sob o código 5162, que define o cuidador como alguém que “cuida a partir dos objetivos estabelecidos por instituições especializadas ou responsáveis diretos, zelando pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida”. É a pessoa, da família ou da comunidade, que presta cuidados à outra pessoa de qualquer idade, que esteja necessitando de cuidados por estar acamada, com limitações físicas ou mentais, com ou sem remuneração. 

A função do cuidador é mais que o simples acompanhamento das atividades diárias dos indivíduos, sejam eles saudáveis, enfermos e/ ou acamados, em situação de risco ou fragilidade, seja nos domicílios e/ou em qualquer tipo de instituições na qual necessite de atenção ou cuidado diário. O papel do cuidador é acompanhar e auxiliar a pessoa a se cuidar, fazendo pela pessoa somente as atividades que ela não consiga fazer sozinha. Ressaltando sempre que não fazem parte da rotina do cuidador técnicas e procedimentos identificados com profissões legalmente estabelecidas, particularmente, na área de enfermagem. 

Vale salientar que nem sempre se pode escolher ser cuidador, principalmente quando a pessoa cuidada é um familiar ou amigo. É necessário a compreensão de se tratar de tarefa nobre, porém complexa, permeada por sentimentos diversos e contraditórios. A seguir, algumas tarefas que fazem parte da rotina do cuidador:

  •  Atuar como elo entre a pessoa cuidada, a família e a equipe de saúde. 
  • Escutar, estar atento e ser solidário com a pessoa cuidada. 
  • Ajudar nos cuidados de higiene. • Estimular e ajudar na alimentação. 
  • Ajudar na locomoção e atividades físicas, tais como: andar, tomar sol e exercícios físicos. 
  •  Estimular atividades de lazer e ocupacionais. 
  • Realizar mudanças de posição na cama e na cadeira, e massagens de conforto. 
  • Administrar as medicações, conforme a prescrição e orientação da equipe de saúde. 
  •  Comunicar à equipe de saúde sobre mudanças no estado de saúde da pessoa cuidada. 
  • Outras situações que se fizerem necessárias para a melhoria da qualidade de vida e recuperação da saúde dessa pessoa. 
WhatsApp chat